7 Dicas Para Ser Um Contador de Histórias Profissional! – Ih, Contei!

Profissão Contador de Histórias – Ninguém Disse Que Seria Fácil!

Em 2013 resolvi abrir mão de uma carreira na área de tecnologia para ser contador de histórias e hoje vivo desta profissão e viajo o Brasil de ponta a ponta contando histórias.

Antes de continuar esta história preciso situar você leitor de quem eu sou, sendo assim farei um resumo sobre mim: Meu nome é Leandro Pedro, tenho 25 anos, nasci em Macaparana/PE (provavelmente você só irá ler o nome desta cidade uma vez na vida) interior de Pernambuco. Cheguei  no Rio de Janeiro com mais ou menos 08 meses de idade, ainda um bebê, no colo de uma mãe analfabeta que veio encontrar seu marido e que passou 3 dias dentro de um ônibus sem ar-condicionado para chegar até aqui. Fui criado por meu pai e minha mãe dentro da comunidade do Turano no Rio de Janeiro. Aos 12 anos sonhava em ser ator. Um dia me convidaram para fazer um curso de contação de histórias em uma ONG (Instituo de Arte Tear) achei que ali seria o primeiro passo para minha formação de ator, então fui e fiquei lá até meus 15 anos e me apaixonei pela arte de contar histórias. Aos 16 anos larguei a contação, pois achava que deveria estudar informática para ter uma ‘vida melhor’. Passei para uma boa escola no ensino médio e lá fiz curso técnico em programação de jogos. Mais tarde passei para uma faculdade federal em Sistemas Para Internet e logo no primeiro período eu já estava no mercado de trabalho como estagiário e ganhando uma bolsa muito boa para época. Depois passei por algumas empresas de TI, mas em todas elas eu senti que eu não servia para aquilo, sentia que aquilo não era o que eu realmente amava fazer.   Quando cheguei nos 2 últimos períodos da minha faculdade, tomei minha melhor decisão, resolvi sair dela e investir na minha carreira de contador de histórias.

E depois de quase 4 anos contando histórias profissionalmente, consegui aprender algumas coisas que vou compartilhar com vocês:

#1 Dica – Aprenda a Gerar Dinheiro

Passei anos dentro de um instituto aprendendo a contar histórias e eu amava (e amo) fazer isso, mas sempre achei que nunca conseguiria viver da arte. Quando sai da minha faculdade de Sistemas,  resolvi que iria investir todas as minhas fichas em fazer o que eu queria – Contar Histórias. Bom, eu não tinha muito dinheiro, na verdade eu não tinha nenhum dinheiro. A primeira tarefa foi conseguir me sustentar e em 2014, quando eu já tinha 23 anos, eu e uma ex-professora nos juntamos para criar a primeira oficina de contação de histórias e neste momento surgiria a primeira ação da Ih, Contei!, nossa oficina deu certo, recebemos 10 participantes pagantes que fizeram 4 dias de oficinas conosco.  Consegui gerar a primeira fonte de renda fazendo oficina.

#2 DICA – Um Bom Contador de Histórias, Não Conta Qualquer História

Eu escolhi contar contos populares e adaptei todos eles para que ficassem confortáveis para mim. Cada contador, com o passar do tempo, vai descobrir sua melhor forma de contar histórias. Eu gosto de contar interagindo sempre com a plateia e hoje crio brinquedos para contar histórias e isso foi meu melhor diferencial, ponho brincadeiras nas sessões de histórias e, às vezes, transformo o espectador em personagens, eles se divertem e embarcam na história.
Um bom contador de histórias não conta qualquer histórias. Um bom contador conta histórias que lhe afetam de alguma forma. Faça uma longa pesquisa dos contos que você vai contar, se não tiver nenhuma histórias que você sinta motivado a contar, escreva seu conto, seu conto pode ser a melhor história. Aprenda também a ouvir críticas isso ajuda a melhorar o seu trabalho!

#3 DICA – Não Conte Contos de Outros Autores

Fiz muitas apresentações pelo Brasil e já rodei mais de 30 cidades com minhas sessões de histórias e nunca utilizei de contos de outros autores, sempre contei meus contos ou contos populares. Mas por qual motivo eu optei por não utilizar contos de outros autores? Por conta dos Direitos Autorais. Se você não conhece o autor ou não sabe como solicitar direitos autorais de uma obra, então opte por não conta-la em sessões que terão cachê. Por exemplo, é comum que contratantes como SESC exijam uma carta de direitos autorais e se você não tiver esta carta, por mais linda que seja sua sessão de histórias, ela não irá acontecer e caso você não tenha a autorização do autor e faça sem faça, ainda sim, sem autorização do mesmo, cuidado pois você pode ser processado.

#4 DICA –  Não Faça Seu Trabalho de Graça

Recebi e recebo muitos pedidos para contar histórias de graça em eventos, festivais, empresas e afins. Sim, eu ainda conto histórias de graça, mas somente para eventos onde eu sei que é 100% beneficente e eles passam por uma extensa avaliação minha. A Ih, Contei! tem uma política de ofertar 20% das ações para a população de forma gratuita. Mas nunca, nunca e em hipótese alguma, fazemos contação de histórias ou qualquer outra ação de graça para empresas e qualquer tipo de contrante que não esteja fazendo um evento beneficente.  É muito importante que nós, contadores de histórias, tenhamos cachê e um cache justo! O cachê é o que irá nos sustentar e pagará nossas contas. É muito importante também que você tenha um cachê base que seja justo e não aceite receber menos do que você esta propondo ao seu contratante. Este é o seu trabalho e se você desvaloriza ele, você desvaloriza toda a classe de contadores de histórias.

#5 DICA – Invista No Seu Portfólio

Muitas empresas que me contrataram para contar histórias não me conheciam pessoalmente, a única coisa que eles viram foram minhas fotos, alguns vídeos e um ótimo portfólio. Sempre me dediquei a fazer uma apresentação bonita para enviar ao contratante. Caso você não saiba criar sua própria apresentação é melhor que você invista em um designer que faça isso para você, uma boa apresentação é, muitas vezes, a chave mestra para fechar um contrato.

#6 DICA – Invista Nas Mídias Sociais

Não use seu Facebook pessoal como página principal para divulgar seu trabalhos! Seja profissional. Tenha, no mínimo, uma página no Facebook exclusiva com fotos sempre atualizadas e de boa qualidade do seu trabalho. Mas se quiser fazer direito e bonito então tenha: uma página no Faceboook, um site bacana, uma conta no Instagram e um canal no YouTube. Sei que manter tudo isso sempre atualizado pode dar um trabalhão. Por isso crie canais aos poucos, se você esta iniciando não adianta abrir várias contas em todos os canais citadas se você não dará conta de mante-los atualizados e tão pouco de aprender a como eles funcionam. Criar canais bacanas e bonitos é muito importante para você como portfólio e para quem irá lhe contratar. Se você só der conta de ter 1 canal, então que este seja o canal mais legal que você vai desenvolver, conheça este canal e estude ele, com o tempo você vai abrindo outros. E como diz o ditado ‘ Quem não é visto, não é lembrado’

#7 DICA – Seja 49% Artista e 51% Produtor

Desde que conto histórias profissionalmente fiz muitas leituras sobre produção cultural e ao menos 3 cursos sobre a área. Aprendi a escrever projetos, inserir meus projetos em editais, ligar para empresas contratante, encaminhar meus projetos para as empresas. Aprendi a vender. É muito importante que você aprenda a vender se quiser ser um contador de histórias profissional. Esta, inclusive, é a principal parte. Você deve ser um ótimo artista, mas não adianta ser um ótimo artista se você não consegue se vender. Então trate de ser também um ótimo produtor cultural, busque se informar, busque aprender a desenvolver seu projeto. Se você tiver dinheiro e não quiser ser o produtor dos seus projetos então indico que contrate um produtor. Mas se, assim como eu comecei, você tiver começando sem nenhum real no bolso, então aprenda você mesmo a se auto produzir, no inicio isso pode parecer um pouco chato, mas tão logo você vê que é muito compensativo e valioso você aprender técnicas de produção.

Agora ponha em prática

Agora que você já sabe um pouquinho como ser um contador profissional ponha em prática sua atuação. Lembre-se: você é bom e pode sempre melhorar suas apresentações, ensaie bastante e não tenha medo de vender suas sessões de histórias! Crie e invente novas formas de contar histórias e faça isso sempre com muito amor!

Gostou das dicas?
Então, agora segue a gente no Facebook e fique sempre atualizado!!!
Curta Canais: Ih, Contei! – Facebook / Ih, Contei! – Instagram / Ih, Contei! – YouTube  /

Olá, me chamo Leandro Pedro. Sou ator, contador de histórias, coordeno as atividade da Ih, Contei! E  sou apaixonado por educação infantil e por isso em 2014 fundei a Ih, Contei! uma cia que desenvolve um montão de projetos especialmente para infância nas áreas de arte, educação e difusão a literatura.